Blues, Música

The Dirty Mojo Blues Band

13413668_1032121730156890_4983999694014434265_nOriunda da Pensilvânia/EUA, a Dirty Mojo Blues Band, banda formada por Shawn “Dirty” Strickland (vocal/gaita), Gary “Daddy Mojo” Strickland (guitarra/vocal), AL Meck (guitarra), Tim Reinhard (baixo) e Mark Peterson (bateria) faz um “bluezão” temperado com boas doses de rock. As composições são ancoradas na gaita harmônica e guitarra e são altamente influenciadas pelo que de melhor se produziu nas antigas do blues e do rock ‘n’ roll. Os caras conseguem conciliar esses elementos de modo a construir um som próprio e original.

Dos antigos, a banda cita como principais influências nomes como BB King, Buddy Guy, Muddy Waters, Taj Mahal, Junior Wells, SRV, Eric Clapton, Zeppelin, Lynyrd Skynyrd e The Allman Bros; dos contemporâneos, Dirty Nickels, Blind Chittlin Kahunas, Nate Myers and the Aces, Black and Blues e Tickeled Pink.


Referências:

Agradecimento:

Anúncios
Blues, Música

blues# Raful Neal

mqdefaultNascido em Baton Rouge em 1936, Neal pegou a harpa aos 14 anos, atiçado por um artista local chamado Ike Brown e influenciado pelo maior gaitista de Chicago, Little Walter. A primeira banda de Neal, a Clouds, tinha o guitarrista Buddy Guy. Esta foi a banda que Little Walter ouviu enquanto estava em Baton Rouge e os convidou para se mudar para Chicago e completrar os shows que Walter não conseguiu fazer. Buddy deu-lhe uma chance, mas Neal decidiu ficar na Louisiana e criar sua família. O harpista estreou em vinil em 1958 com um compacto de 45s pelo selo Houston Peacock Records de Don Robey. Mas “Sunny Side of Love“, embora tenha sido uma boa canção, não levou a mais gravações pelo mesmo selo ou qualquer outro por um bom tempo. O álbum de estreia intitulado Louisiana Legend, foi lançado pelo selo King Snake Records de Bob Greenlee. Em I Been Mistreated, seguiu-se o mesmo estilo grudento de Neal e foi lançado no Ichiban no ano seguinte. Seus filhos, Noel (baixo) e Raful Jr. (guitarra) se juntaram para ajudar seu velho pai. Neal percorreu o mundo e, em 1997, contribuiu com arranjos de harpa para duas faixas no registro Tab Benoit’s Live: Swampland Jam. O discreto, mas sólido “Old Friends” foi lançado em 1998. Raful Neal morreu em 1 de setembro de 2004, depois de uma longa luta com câncer.


Referências:

Blues, Música

Artur Menezes: bluesman brasileiro pretende gravar disco novo na Califórnia

Residindo atualmente em Los Angeles, Artur Menezes ganhou recentemente o “Blues Challenge” promovido pela Santa Clarita Valley Blues Society e foi uma das atrações do International Blues Challenge em Memphis, promovido pela “Blues Foundation“, com mais de 250 bandas de vários países. Será o 33º ano do festival. Além disso, Artur fez shows nos eventos “Cadillac Zack Presents The Best Blues in California” no “Maui Sugar Mill Salloon” e no “Malarkey’s“, ambos locais onde grandes nomes da cena blues atual se apresentam, tais como Joe Bonamassa, Eric Gales e Philip Sayce. Recentemente Artur fez o show de abertura para Bobby Rush, que ganhou o Grammy por melhor álbum de blues tradicional.

downloadArtur Menezes não só toca guitarra, mas canta, compõe e interpreta de uma forma tão peculiar que impressiona até os grandes mestres. Com três discos lançados: “Early to marry“, “#2” (pré-selecionado ao Prêmio da Música Brasileira de 2013 na categoria de “Melhor Disco em Língua Estrangeira”) e “Drive Me” (2015), Artur continua no caminho de mesclar suas influências com o blues, definindo um estilo mais moderno e verdadeiro.

artur menezes blues cearaEm sua trajetória, Artur esteve em turnê na Europa em 2014, onde foi headliner do “Augustibluus Festival“, além de fazer shows em casas de blues na Inglaterra. Em 2015, esteve por duas vezes no México e em 2013 na Argentina. Nos anos de 2006, 2007 e 2011, residiu em Chicago, onde teve a oportunidade de dividir o palco com grandes nomes do blues – dentre eles Buddy Guy – e tocar nos mais tradicionais bares de blues de lá. Em 2012, Artur fez os shows de abertura no RJ e em SP para a turnê de Buddy Guy no Brasil. Ainda neste ano, Artur liderou uma disputa, – empatado com uma banda de Los Angeles -, entre mais de 2 mil artistas de todo o mundo, por uma vaga para tocar com Eric Clapton no Crossroads Guitar Festival, um dos maiores e mais concorridos festivais de guitarristas do mundo, que aconteceu no Madison Square Garden, em NY.

Artur Menezes foi headliner de inúmeros festivais de jazz e blues no Brasil, tais como: “Rio das Ostras Jazz & Blues Festival” (RJ), considerado o maior do gênero na América Latina; “Manguinhos Jazz & Blues” (ES), “Garanhuns Jazz Festival” (PE), “Festival de Jazz & Blues de Guaramiranga” (CE), “Lençóis Jazz & Blues Festival” (MA), “Festival SESC Jazz & Blues” em S. J. do Rio Preto (SP), Piracicaba (SP), Bauru (SP) e Presidente Prudente (SP), “Festival Blues de Londrina” (PR), dentre outros.

Segundo o site oficial do bluesman, Artur planeja gravar um novo álbum em 2017 na Califórnia, com lançamento nos EUA e Brasil.


Referências:

Blues, Música

domingo blues# Muddy Waters

Por Neivaldo Araújo

McKinley Morganfield ou Muddy Waters, nascido em 4 de abril de 1913 no Condado de Issaquena, Mississippi, é considerado por muitos o pai do Chicago blues. O nome artístico (em português, Águas Lamacentas) foi-lhe dado devido ao costume de, quando criança, brincar nas águas turvas de um rio próximo. Seu primeiro instrumento foi a gaita, que aprendeu a tocar aos 13 anos. Juntamente com um amigo, costumava tocar nas esquinas junto em troca de comida ou de uns trocados. Ainda jovem, teve a oportunidade de ver apresentações de artistas como Charley Patton e Son House. Havendo, Son House inclusive, sido uma grande influência sua. Foi ele quem mostrou a Muddy como tocar guitarra slide com uma garrafa de vidro, o que o levou a trocar de instrumento.

Ele mudaria-se mais tarde de Mississipi para Chicago, Illinois, onde sua popularidade começára a crescer entre os músicos negros, e isso o permitiu passar a se apresentar em clubes de grande movimento. A técnica de Waters é fortemente marcada pelo uso da braçadeira na guitarra. Suas primeiras gravações pela Chess Records apresentavam Waters na guitarra e vocais apoiado por um violoncelo. Posteriormente, ele adicionaria uma seção rítmica e a gaita de Little Walter, inventando a sonoridade clássica de Chicago Blues.

Com sua voz profunda, uma personalidade carismática e o apoio de grandes músicos, Waters rapidamente tornou-se a figura mais famosa do Blues de Chicago. Até mesmo B. B. King referiria-se a ele mais tarde como o “Chefe de Chicago”. Suas bandas eram um “quem é quem” dos músicos de Chicago: Little Walter, Big Walter Horton, James Cotton, Junior Wells, Willie Dixon, Otis Spann, Pinetop Perkins, Buddy Guy, e muitos outros.

As gravações de Waters do final dos anos 1950 e começo dos 60 foram particularmente suas melhores. Muitas das canções tocadas por ele tornaram-se sucesso: Walkin’ blues, Hoochie Coochie Man, She’s Nineteen Years Old e Rolling and Tumbling, grandes clássicos que ganhariam versões de várias bandas dos estilos mais diversos.

Sua influência foi enorme em muitos gêneros musicais: blues, rhythm and blues, folk, jazz. Foi Waters quem ajudou Chuck Berry a conseguir seu primeiro contrato.

Em 30 de abril de 1983 Muddy Waters morreu vítima de Insuficiência cardíaca enquanto dormia na sua casa em Westmont, Illinois. Foi enterrado no “Restvale Cemetery” em Alsip, Illinois. A cidade de Chicago e o subúrbio de Westmont homenageram Muddy colocando seu nome em vias públicas.

Entre outras canções com as quais Waters tornou-se conhecido estão Long Distance Call, Mannish Boy e o hino do rock/blues I’ve Got My Mojo Working.

Um pouco da história de Muddy Waters e da Chess Records foi [lindamente] retratada no filme Caddilac Records de 2008.


Referências:

  • Wikipedia
  • Resenha de Filmes
Blues, Música

domingoblues# Stevie Ray Vaughan

Por Neivaldo Araújo

Nascido em 03/10/54 (Dallas), Stephen “Stevie” Ray Vaughan, se mudou para Austin com 17 anos, quando iniciou sua carreira musical.

Importante figura do blues, um estilo musical caracterizado pelo swing e pela fusão do blues com o rock, o qual alguém chamou de “Texas Blues“. Tornou-se um dos principais músicos do blues, com diversos álbuns lançados e uma carreira brilhante.

img_0.jpgNo início de sua carreira fazia apresentações na banda de seu irmão Jimmie Vaughan, a princípio tocando o contra-baixo, apenas para ter a oportunidade de tocar em uma banda, que era seu desejo na época. Com a experiência adquirida, assumiu a guitarra definitivamente e após tocar em uma série de bandas, formou o conjunto de blues, Country e rock chamado Double Trouble com o baterista Chris Layton e o baixista Jackie Newhouse no final dos anos 70.

Tommy Shannon substituiu Newhouse em 1981, no início conhecido apenas localmente, Vaughan atraiu a atenção de David Bowie e Jackson Browne, gravando em álbuns de ambos. O primeiro contato de Bowie com Vaughan havia sido no Montreux Jazz Festival. Bowie lançou Vaughan em seu álbum “Let’s Dance” na canção com o mesmo nome e também na canção “China Girl“.

O álbum de estréia do Stevie Ray Vaughan e Double Trouble foi lançado em 1983. O aclamado pela crítica, Texas Flood lançou o sucesso “Pride and Joy” e vendeu bem tanto nos círculos de blues como de rock. Os álbuns seguintes, “Couldn’t Stand the Weather” (1984) e “Soul to Soul” (1985), vivenciaram quase o mesmo sucesso dos discos anteriores.

O vício em drogas e o alcoolismo levaram Vaughan a ter um colapso durante sua turnê em 1986. Passou por um processo de reabilitação na Georgia um ano mais tarde. Após seu retorno, Vaughan gravou “In Step” (1989), outro disco aclamado pela crítica que ganhou um Grammy pela melhor gravação de Blues Rock, foi indicado a doze Grammys, vencendo seis; em 2000,

Vaughan morrreu tragicamente na manhã do dia 27 de agosto de 1990, ele morreu em um acidente de helicóptero, que seguia para uma apresentação no Alpine Valley Music Theater, onde na tarde anterior se apresentara junto com Robert Cray, Buddy Guy, Eric Clapton e seu irmão mais velho Jimmie Vaughan.

Quatro helicópteros estavam a disposição dos músicos, e Stevie encontrou um lugar vazio em um helicóptero com alguns membros da equipe de Clapton, e decidiu embarcar. Em consequência do céu extremamente nublado e da forte névoa, o helicóptero de Stevie virou para o lado errado e foi de encontro com uma pista artificial de ski. Não houve sobreviventes, Stevie Ray Vaughan foi enterrado no Laurel Land Memorial Park,em Dallas, no Texas.

Blues, Música

domingoblues# Buddy Guy – Sweet tea

buddyApós uma pausa de dois anos sem gravar, Buddy retorna com Sweet Tea (2001), um disco que fugiu completamente ao padrão de sua enorme discografia. Lançado pela Silvertone Records, no Mississippi, esta é uma tentativa ousada de criar um disco “mais puro” de blues sem depender de covers ou de bandas conhecidas, sem misturas, sem muitos efeitos ou truques de estúdio. Em certo sentido, a própria idéia por trás deste trabalho era a de levar Buddy de volta ao básico. Uma espécie de retorno aos primeiros dias. O problema é que a produção era um pouco auto-consciente em sua autenticidade estilizada. Daí que havia demasiada preocupação: “muito eco, muito abafado, mais rústico, etc”. Isto o levou a fazer um disco  mais diferente do que quase todos os álbuns de blues contemporâneos. Não soa datado e soa como um genuíno disco de blues.
o-BUDDY-GUy-2A despeito dos pormenores, Sweet Tea é um disco muito bem aceito porque, mesmo com uma produção mais caseira, ele funciona muito bem. tocar num ambiente despojado deixou Buddy muito à vontade, não só fazendo com que tocasse bem, mas permitindo ainda, que viesse a mostrar-se como o grande intérprete que é. Um bom exemplo disto pode ser conferido já na faixa abertura, a acústica, “Done Got Old“. Ela ilustra como o mestre ainda se mostra vital e surpreendente para o blues.

Agradecimento:

Referências:

Blues, Música

domingoblues# Snowy White & The White Flames – Riding The Blues

O guitarrista britânico Blues/Rock, Snowy White, começou a se interessar pela música aos 11 anos, quando ouviu artistas de blues urbanos como BB King, Otis Rush e Buddy Guy, e foi inspirado a criar seu próprio estilo polido e hard de blues britânico.

Depois de se mudar para Londres no início dos anos 70, White passou a década aperfeiçoando seu som e tocando com artistas como Pink Floyd, Peter Green e Thin Lizzy. Em 1979, Thin Lizzy pediu a White para se juntar a eles como um membro da banda de tempo integral. Então, sairam em tour e gravaram os discos Chinatown e The Renegade.

Inquieto, White deixou Thin Lizzy em 1982. Juntamente com o baterista Richard Bailey, o baixista Kuma Harada e o tecladista Godfrey Wang, ele gravou sua estréia solo “White Flames”. Seu single “Bird of Paradise” se tornou um sucesso internacional, alcançando a terceira posição U.K. charts (parada americana).

Referência: