Reflexão

2017

Já me desvencilhei dessa coisa de culpar o ano velho pelas coisas que não foram do meu agrado e de projetar metas para o ano novo. Cada ano tem sua história e cada esforço despendido pode ou não ser recompensado e/ou reconhecido. Tudo depende da forma como encaramos as coisas.

Nesse sentido, desejo que tenhamos disposição para continuar persistindo naquilo que potencializa nossa capacidade de sonhar e de realizar!

Assim sendo, que o ano novo seja tão bom quanto a capacidade, vontade e generosidade de cada um.

Reflexão

Para a vida

campus-party-2014-tera-a-presenca-de-bruce-dickinson-2“O melhor chefe é aquele que sabe ser o melhor empregado. O melhor líder é aquele que é um bom servidor e é aquele que sabe mediar entre duas posições, a de exigir e a de cumprir. Ser chefe não significa [apenas] mandar, significa também se comprometer e ajudar a crescer. (…)”
(Bruce Dickinson. 2010).

Música

Amanda Somerville – Searching

Amanda Somerville é norte-americana. De formação erudita, a compositora, cantora e produtora se divide entre vários projetos, dentre os quais estão Avantasia, Trilium, Kiske & Somerville, a carreira solo e participações especiais em muitos discos de rock e heavy metal.

O vídeo que segue é uma ilustração da música que, por sua vez, alude àqueles que, por amor, chegaram ao “fundo do poço” mas conseguiram, de um modo ou de outro, seguir seus caminhos por estradas diferentes.

Música

Domingo é dia de blues: Dave Meniketti – Man’s Word

Dave Meniketti Nasceu e cresceu em Oakland, Califórnia. Tornou-se ícone para guitarristas de todo ou mundo, a partir da Bahia de São Francisco, um lugar conhecido como o berço do thrash metal. Foi influenciado por artistas como Jimi Hendrix, John Coltrane, Leslie West, James Brown, Led Zeppelin… que, provávelmente, contribuiram para a diversidade da sua linguagem musical.

Man’s Word é [a canção] carro chefe do álbum On The Blue Side. Um disco totalmente hard rock, mas com um apelo para o blues. Apelo, este, que se converte em sensualidade no fraseado do guitarrista e vocalista famoso por seus trabalhos com os “roqueiros” da banda Y&T . Um disco apreciado tanto pelos fãs de rock n roll e heavy metal quanto de Blues Music.

Reflexão

Miséria consentida: companheira de todos os dias!

Os sistemas políticos são responsáveis pela geração de riquezas e, de certa forma, pela grande maioria dos avanços da nossa civilização. A grande dificuldade dos sistemas, todavia, parece consistir na incapacidade de distribuir as riquezas por eles produzidas, bem como na equalização dos direitos humanos.

À propósito disto, julgo que o caos social deve ser denunciado.

Deve ser mostrado, não por que seja imanente de beleza mas, por que, a partir da tomada de consciência de que ele está mais próximo de nós do que nos permitimos ver, é que ele passa a existir como condição de possibilidade para o surgimento de uma beleza que não se quer utópica.

Música

Domingo é dia de blues: The Blues Overdrive – Aurora

“Clinch” é o [novo] álbum da banda dinamarquesa The Blues Overdrive, com a presença do lendário guitarrista Duke Robillard. Ele [o disco] tem dez canções originais com um som que mistura elementos de blues de Chicago e Delta Blues clássico. [A banda] The Blues Overdrive estreou em 2012 ganhando ótimas críticas na imprensa europeia especializada e estabeleceu-se como uma das bandas de blues mais populares na Dinamarca, tocando em muitos festivais em casa e em locais importantes na Alemanha, Noruega e Inglaterra .

Agradecimento: Cris Machado.

Fonte: HISTORIAS DEL BLUES

Reflexão

Amálgamas obscurecidas

A fotografia em branco e preto tem o poder de relativizar as nuances dos excessos contidos entre as linhas e as curvas do objeto fotografado. São camadas visíveis sem grandes esforços numa fotografia normal, mas que na maioria das vezes, torna incapaz, o interlocutor, de aguçar seus sentidos na tentativa de uma leitura mais crítica quanto aos simbolismos alí contidos.

Relativiza, porém, não oculta!

SAMSUNG CAMERA PICTURES

A cidade é revelada em toda a sua plenitude para os que se permitem vivenciá-la em suas formas e aspectos. Abraçá-la por meio de encontros carregados de sentimentos, tanto vorazes  quanto ruidosos, tanto comedidos quanto silenciosos. Revela-se em forma de amálgamas que, obscurecidas pelo tempo, equalizam diferenças de modo a acolher à todos indistintamente.

cidade

Revela a tênue linha que separa a arquitetura do  vocábulo; que torna as pessoas comuns em poetas ou mágicos. Revela a comunicação onipresente entre as pessoas e os traços borrados que compõem a paisagens da maioria dos espaços percorridos num misto de belezas imprevistas que, por sua vez, dão à imaginação autonomia para ressignificar os simbolismos das ruas, como a capacidade de um povo em resistir às formas de não-arte.

homenRevela ou transforma em ator, o homem que parte todos os dias em busca do pão de cada dia. O mesmo homem que exausto de justapostos cansaços diz sim à felicidade em meio às próprias agonias. O homem que, a despeito dos desalentos leva as mãos à cabeça e compreende o sofrimento como parte da alegria. Fazendo do “retornar para casa”, um ato despojado de culpas no ceio da família. Um papel desempenhado com certa maestria por quem trabalha, trabalha e proclama com orgulho o dom de haver conquistado um papel no teatro da vida.