Reflexão

HEU

Do corpo lívido, a alma ausente.

Serenidade mórbida extraída de um beijo amargo.

… Embriagada numa fonte de ilusões cedeu a alma em troca de um punhado de sensações.

Houve agora, a sinfonia do silêncio…

Isenta, então, de culpas, deixa como legado sua ideologia desprovida de rebeldia e inspiração.

Ver o post original

Anúncios

1 thought on “HEU”

Ajude-nos a melhorar. Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s