Reflexão

Kreator e Exodus (Fortaleza, 24/10/09)

esteriltipo

420967_242771752464595_1110126871_nQuando me aproximei do palco o EXODUS começava a executar a arrasa-quarteirão Bonded by Blood, e logo uma impressionante roda de mosh se formava na frente do palco atraindo bastante a atenção do vocalista Rob Dukes. Já, de bate-pronto, um dos melhores momentos do show, e o que se seguiu foi uma sequência de torpedos sonoros, cada um melhor executado que o outro – o som, que no início tava meio ruim, logo foi acertado e era possível ouvir claramente cada acorde tocado. Clássicos como Fabulous Desaster, A lesson in Violence, Chidren of a Worthless God, Piranha e outros, levaram a garela ao delírio. O show foi permeado por momentos marcantes. (…) Num deles, Dukes, que já havia dialogado bastante com o público, inicia um confuso e enrolado “Olê!”, “Olê!”, “Olê!”, “Olê!”, “Vôvô!”, “Vôvô!” (referência a um dos times do futebol cearense). A turma foi entendendo e formando o…

Ver o post original 543 mais palavras

Anúncios

Ajude-nos a melhorar. Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s