Poesia

Minhas duas metades

Duas porções cujas partes se misturam.
Uma, feita de euforia; outra, de solidão.
Elementos que interagem num ambiente de caos, buscando o equilíbrio da razão.
Repletas de ansiedade, necessitam apenas de totalidade.
Mas, opostas que são, realizam-se somente na contradição.
Buscam no infinito, o que falta de sentido.
Duas partes que não se confundem, mas que preenchem o vazio de quando falta ‘Eu’ para o que quer que seja realidade!

Música

Corram pras montanha, magote de corno – Um cordel pra Donzela de Ferro.

12189854_1048670071818178_6364872690305468098_n“Em 1975, lá pras bandas de Londres surgia para o mundo
Uma banda de Révi Metal, que até hoje fascina do mais jovem ao cabra mais véi
Os nome das musga transformei do ingleis pru portugueis atual
Pra mode que povo de preto intendê mió,
pro fã num ficar aguniado
e num intendê o leriado
Porque é mais fácil achar um enterro de anão em feriado,
do que encontrar uma alma que não goste de BRUCE,
RÁRIS, MURAI, IZMITI, NICO E JANIQUI.

Pra começar, o seu Bruce Pinto Filho além de cantar é piloto,
Arroxa nos agudos e pula mais que sapo doido, parece um minino,
Se duvidar bota medo até no capiroto, e diga ai que banda no mundo
O vocalista leva a banda num boing 747 Ed Force One? Respeita os cabra minino!

Agora, aperte o cinto pra não perder os dente
Que só vem musga decente
De 80 até 2015, de disco já são 16
De Airon Maiden até o Livro das almas,
Vixe maria é tanta musga presta atenção e sai do mei

Lembre de Amanhã e Correndo Livre?
Paulada na mulera
Que duas musga mais doidera pra época
Onde se só ouvia punk e bee gees, Zé ruéla
Esses cabras foram abusados e criaram uma nova era,
New wave of British heavy metal
Ah, bando de fi dumas égua.

O desafio das águias, assassino da rua Morge.
Literatura muito eles usavam
Corram pras montanha seus corno,
Povoava a mente dos inocente que escutava
Se foi o medo do escuro, a balada do velho marinheiro ou anos perdidos
Só sei de uma coisa eu já tava viciado e rendido
Pelo Duelista, Alexandre o Grande
E valha meu deuso, pela musga do numero da besta,
Que quando eu novin
Tinha até que esconder meu disco,
porque se minha mãe pegasse era tapa no pé do zouvido

Ano que vem vou pra Fortaleza, ouvir de perto esse povo que tanto falei
Talvez ouvir minha musga favorita, o sétimo filho do sétimo filho
Ou até mesmo a musga do abestado educado
Porque desde pequeno sempre apreciei
Se chorar vou dizer que num chorei
Mas emoção num vai faltar certamente se ouvir pauérisleive
Esse disco é chibatada na mulera
Seja bem vindo oh povo pai degua é o Inglês!”

de: Cristiano Machado.

arte: Guabiras.