Música

Há partidarismos nos movimentos de cunho popular?

Desde os momentos finais das eleições 2014, tenho notado que algumas pessoas do meu convívio pessoal e profissional, vem adotando um discurso semelhante quanto a motivação para eleger um presidente de “direita” como é o caso do Sr. Aécio Neves. Dentre os quais:
1) defender a alternância de poder – porque o Brasil (se pender muito para o socialismo) vai ficar igual a Venezuela;

2) porque o socialismo (que socialismo?) é o primeiro passo para a instalação de uma ditadura;

3) porque o comunismo (Comunismo???) é ruim para o país;

4) etc…

Daí, notei que estas pessoas estavam repetindo o mesmo discurso (até em afirmar que já haviam ido a Venezuela). Então, isto passou a se apresentar, para mim, como um discurso padronizado, como algo organizado.
Percebi que eu não me sentia representado por aquele discurso pois nunca tive grandes bens, e sequer saí do país. Então me pareceu claro que se tratava da velha luta de classes de Marx. E que os dois lados estavam lutando pela manutenção de algo que lhes era conveniente.
Dessa forma, concluo que há organização política, partidária, proletária, ou o diabo a quatro, por detrás dessas e de outras manifestações. Todavia, os dois lados se organizam! E claro, alguém orquestra e financia os seus respectivos movimentos.

Reflexão

Perspectiva e fato

10368191_815088241899607_6335027890040269076_nNa verdade, essa máxima encontra-se, de um certo modo, defasada!

É óbvio que, para que haja interpretação, deve haver um acontecimento em torno do qual se possa predicar algo – isto a que chamamos de “fato”.

Todavia, imagino que Nietzsche, ao fazer tal afirmação,  pretendia enfatizar o caráter de relacionalidade das coisas, e de como impregnamos através de nossas individualidades, as interpretações que fazemos dos fenômenos e das coisas.

Isso implica que, quanto mais ampla for nossa visão, mais lúcida será a interpretação que doamos as coisas a partir de nossas perspectivas.

E nos tornaremos aptos a interpretar o fato como algo mais próximo de uma verdade.