Poesia

Paixão e medo

Parece-me, par dos Deuses
não ser o homem que ante a ti
senta-se e, de perto, te ouve
a doce voz e o riso desejoso.
Sim, isso me atordoa o coração no peito:
tão logo te olho, nenhuma voz me vem,
mas, calada a língua se quebra,
leve  sob a pele um fogo me corre,
com os olhos nada vejo,
sobrezumbem os ouvidos,
frio suor me envolve,
tremo todo  tremor,
mais verde que relva estou,
pouco me parece faltar-me para a morte.
[Safo]
Anúncios