Poesia

Icto de saudade

reeeUm legado de memórias tuas, há no meu lugar.
Uma ânsia louca que cessaria, fosse tua própria, a minha vida.

Fostes o reflexo da minha imagem que, agora, sem propriedades, se perde na poeira da terra seca.

Terra esta, que grita de dor, assim como gritam minhas mão calejadas revirando o chão sobre ti.

Sem tua voz macia no ícto da minha vou espreitando a morte viva que, há tempos, comigo caminha.

Também é velha companheira, a miséria amiga.

E o teu sorriso é parte da utopia através da qual sigo brigando pela vida.

Mas perdendo pra morte… que ti levou de mim.